Mercado Pet escapa da crise em alta e torna-se uma das áreas mais promissoras

Publicados: 04/05/2022 Países relacionados:  Brasil Brasil

Mercado de alimentos para pets do Brasil é o terceiro maior do mundo, atrás dos Estados Unidos e China.

Durante a pandemia, no ano de 2020, o setor pet cresceu de 13,5% em relação ao ano anterior e teve um faturamento acima dos R$ 40 bilhões. Junto com gastos com cuidados com animais de estimação, a adoção também subiu, no março de 2020 até os 300¬%. Um fator positivo para este setor não foi apenas o passatempo dos donos em casa com seus animais de estimação, mas também a classificação do setor como essencial, o que permitiu que pet shops e veterinários continuassem abertos. Mesmo que no ano de 2021 aumentou o abandono dos pets devido à crise econômica, o faturamento do setor pet cresceu, de 27% em 2021, atingindo R$ 51,7 bilhões e continua com a perspectiva optimista para os próximos anos.

O potencial já foi percebido por algumas empresas tchecas, como por exemplo Vafo – fabricante de ração animal ou Noviko, o maior distribuidor de produtos para o funcionamento da prática veterinária.

Outra empresa da Tchéquia, a Dibaq, após de atuação na Europa, Vietnã e Oriente Médio está atualmente considerando expandir para o Brasil. Dibaq produz rações, petiscos, suplementos e vitaminas para animais de estimação e outros bichos como cavalos ou rinocerontes. Atua no mercado há mais de vinte anos e utiliza a matéria-prima exclusiva com objetivo de garantir para os animais uma vida saudável e feliz.

Fontes: exame.com, dibaq.cz